Quinta-feira, 21 de Junho de 2007

A Minha Paisagem.

 A MINHA PAISAGEM
  

Vezes sem conta,
Olho para a paisagem
E vezes sem conta a acho bela.
 
Abarco com o olhar
Tudo. O que me apraz ver
A terra,
As arvores, as flores...
O céu, as aves, tudo.
 
Lá longe o mar.
 
Na minha linha de horizonte
As cristas das ondas...
Lá longe,
Onde perco o mar
E confundo o céu...
Perco-me no meu olhar.
 
Observo o sol a pôr-se
E a quente brisa da tarde
A dar lugar, à fresca brisa
da noite, que se faz anunciar.
 
Sinto a tristeza, de um dia a finar
E de uma noite triste a chegar.
 
Olho, os últimos raios,
Que se diluem nas águas,
No horizonte, que se funde.
 
Vezes sem conta...
Vejo tudo, o que abarco
E não te vejo...
Onde paras?
Onde te escondes?
 
As aves perdem-se
No imenso céu, escuro
E eu perco-me
No imenso sentir
De mim.

Augusto P.Gil®

sinto-me: Pois...
música: Zeca Afonso - À Proa
publicado por Augusto P.Gil às 01:09
link do post | favorito
De carmemzita a 24 de Junho de 2007 às 22:02
Tantas vezes olhei
que transformei a solidão
das lágrimas que chorei

Em paisagens
de ilusão
e em beijos que ousei
sentir de satisfação...

Parabéns pelo poema!
Bj
CarmenZita
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

.Mais sobre mim

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Respeite os Direitos de Autor

Todos os direitos reservados ao autor sendo proibida a sua publicação sem autorização prévia

.Links

.tags

. todas as tags

.Posts recentes

. Desejo

. ...

. Virar de Pagina

. Dezembro

. Estou de Regresso

. Encontro-me numa profund...

. Calor Intenso

. Ano Novo . o Virar de Mai...

.Favoritos

. ALGURES, JUNTO DE MIM...