Quinta-feira, 25 de Maio de 2006

Poetas

POETAS

Apetece-me gritar, bem alto
Tudo o que transborda, do meu peito
Em soluços abafados.

São sentimentos, sentidos
Transformados em palavras
De papel.

Que amarroto e calco
Dentro de mim.

Tento afastar, toda esta tristeza
Que me envolve
Mas nada se afasta,
Nada se me aparta.

E carrego o meu fado.

Conheci poetas...
Grandes poetas, de sentimentos mil.
Todos choraram palavras ao vento,
Que passou.
E todos se lamentaram,
Por amores perdidos.

Fingidores,
De lamentos.
E de sentimentos.
Foi o que mais vi.

Escreveram palavras vis,
Palavras de amor,
Ou de louvor...
Mas nunca se apartaram
Do seu fado.

Bebo-lhes as palavras,
Na agua da chuva que cai.
E oiço no vento que sopra,
As sua lamurias.

Nas folhas de outono,
Leio os seus fingimentos,
Que caiem,
No mundo que nos rodeia.
Mas a compreensão escasseia...



31/01/2006

 

publicado por Augusto P.Gil às 10:19
link do post | comentar | favorito

.Mais sobre mim

.Quantos andam por aqui?

online

.Que horas são?

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Musica

object width="425px" height="360px" >

.Contacto

e-mail
Contacto via e-mail

.Respeite os Direitos de Autor

Todos os direitos reservados ao autor sendo proibida a sua publicação sem autorização prévia

.O meu livro

.Quem me visita

!--************CODE GEOCLOCK************-->
contador de visita

.Links

.tags

. todas as tags

.Posts recentes

. Desejo

. ...

. Virar de Pagina

. Dezembro

. Estou de Regresso

. Encontro-me numa profund...

. Calor Intenso

. Ano Novo . o Virar de Mai...

.Favoritos

. ALGURES, JUNTO DE MIM...