Terça-feira, 16 de Maio de 2006

"Pontinha"

"Mirante"

Pintura do Mestre H. Mourato

Pontinha
 
Numa tarde de melancolia
Soalheira,
Libertei a pena,
Em sonhos de poeta.
 
Em memórias passadas
Perdidas no tempo,
Surgem lembranças,
Do tempo de criança.
 
Olho para o horizonte,
E vejo-te ao fundo da estrada.
Mesmo à Pontinha
Da jornada.
 
Das quintas, outrora majestosas,
Frutos suculentos
Surgiam em árvores frondosas.
 
A meio caminho, o Mirante
Lugar aprazível,
Para descanso do viajante.
 
Do povoado,
Surgem pessoas,
Amáveis e acolhedoras,
Oriundas de outras terras,
Gente boa e trabalhadora.
 
Na colina
Majestosamente,
Pela sua simplicidade,
Surge a ermida,
Abraçando o povoado,
Qual protectorado.
 
Campos de trigo,
Circundavam-te mesmo á Pontinha,
Ondulando ao vento.
 
Campos doirados
Com papoilas vermelhas,
Compõem o quadro.
 
No rio que não corre,
Porque não existe,
Para além da imaginação
Do poeta...
 
As águas escorrem
Serpentinamente, nos campos,
Calmamente...Como num quadro,
Que não pinto.
 
As ovelhas pastavam
Languidamente,
Em verdes pastos,
Quais flocos de neve,
Em ramalhetes de malmequeres.
Que pululavam os campos.
 
O ar que se respira,
De odores mil,
São perfumes
De Abril.
 
Recordações,
Do tempo de criança
Saudades...
De cantar hinos à liberdade.
 
Observo o horizonte,
Junto da ermida,
A imensidão que abarco
Com o olhar,
Enche-me de calmaria,
Numa noite de luar.
 
Pelos vales e montes distantes
As luzes espalhadas,
Que observo,
Parecem estrelas cintilantes.
Quais pirilampos,
Numa noite de Verão.
 
O Céu estrelado,
Confunde-se com a terra,
Quais amantes
Em acto de amor.
 
São sonhos de poeta,
São palavras escritas
Em memórias perdidas.
Da Pontinha,
Que é terra minha.
 

Julho 2005

Publicado em 13-07-05

 

publicado por Augusto P.Gil às 09:29
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Augusto P.Gil a 16 de Maio de 2006 às 10:02
Este poema é um tributo que faço à Pontinha.
Terra onde nasci e cresci e onde me tornei homem.

Este poema foi editado pela 1ªvez no "Coisas da Pontinha" a 13/07/2005. E foi lido no 1º Encontro de Poesia Popular, organizado pela Junta de Freguesia da Pontinha, em 25/03/2006.

Comentar post

.Mais sobre mim

.Quantos andam por aqui?

online

.Que horas são?

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Musica

object width="425px" height="360px" >

.Contacto

e-mail
Contacto via e-mail

.Respeite os Direitos de Autor

Todos os direitos reservados ao autor sendo proibida a sua publicação sem autorização prévia

.O meu livro

.Quem me visita

!--************CODE GEOCLOCK************-->
contador de visita

.Links

.tags

. todas as tags

.Posts recentes

. Desejo

. ...

. Virar de Pagina

. Dezembro

. Estou de Regresso

. Encontro-me numa profund...

. Calor Intenso

. Ano Novo . o Virar de Mai...

.Favoritos

. ALGURES, JUNTO DE MIM...