Quinta-feira, 28 de Dezembro de 2006

Ao Meu Pai.

Estou muito feliz! O meu pai fez 80 aninhos. E como devem calcular é muito importante para mim e para a familia. Como não quero deixar passar a data em claro ,aqui fica um poema que lhe dediquei.


Ao Meu Pai.

Vejo o teu cabelo, branco ao vento
Como o trigo, em searas, ululando.
As rugas, sulcos
Na face...
Marcam os anos,
Que por ti passaram.
 
São oitenta!
 
Olho-te nos olhos,
Em olhares fugidios
De respeito e ternura.
 
E não deixo de pensar
O quanto é bom,
Em te ter ao meu lado.
 
Poderia dizer ou
Escrever, palavras
Bonitas, sentidas
Ou cantar odes, de ternura
De canções escritas,
Em momentos de amargura
 
Mas não.
 
Apenas te queria dizer,
O quanto é bom...
Ser teu filho.
 
Continuar a dar-te a mão
E passear ao teu lado
E desejar...
Continuar
a falar de tudo e de nada.
 
E saber que me ouves.
 
Como em criança...
Embora seja já lembrança
Recordo...
 
Desde o gatinhar,
Ou andar ás cavalitas.
Ou simplesmente correr
Em brincadeiras loucas.
Ou apenas andar
Ao teu lado
E sentir a minha mão, pequena
Aconchegada na tua.
 
Mesmo nas palavras
Que não me disseste
Encontrei sempre um olhar
De incentivo.
E uma pequena lágrima de orgulho...
Rebelde,
ao canto do olho.
 
De criança,
Homem me fiz
E de filho
Pai me tornei
 
E hoje,
Traço palavras
Que não te digo
Em quadros que não pinto.
 
Sabes, gostava de poder escrever
O que sinto, em mim
Mas palavras não tenho
Para o descrever...
 
Mas apenas te direi
Que sinto, orgulho
De ter um pai,
Assim, como tu.
 
Pelos teus anos-26Dez'06

publicado por Augusto P.Gil às 17:00
link do post | comentar | favorito
4 comentários:
De Mavilde a 28 de Dezembro de 2006 às 21:35
Bonito e terno poema para teu pai.
É bom poder agradecer aos pais tudo o que fizeram por nós. E que o gelo de algumas relações entre pais e filhos consiga ser derretido, "em vida irmão, em vida..." como diz um texto de um amigo meu.
Para que durante a vida se consiga ter relações sociais de felicidade...pelo menos entre aqueles que devem amar-se.
Beijos
Mavilde
De MT-Teresa a 29 de Dezembro de 2006 às 07:18
Bom dia Gil
Parabéns pelos 80 anos do teu Pai e pelo poema que lhe dedicas tão cheio de ternura e de amor.

Dizes:
"...Sabes, gostava de poder escrever
O que sinto, em mim
Mas palavras não tenho
Para o descrever..."

podes não o ter feito em palavras ditas...mas as que escreveste...dizem tudo

Beijinho
Teresa

PS: Um BOM ANO 2007

De isa a 20 de Janeiro de 2007 às 21:54
Adorei o poema ao teu pai eu pessoalmente tenho mt pena de não ter dito ao meu o quanto o amava. As coisas que ficaram por dizer mas a vida é mesmo assim vai passando e quando olhamos para trás já é tarde.
Mt Parabéns e mt anos de vida com mt saúde são o que mais lhe desejo.
Desculpa esta entrada no teu blog.
De Augusto P.Gil a 22 de Janeiro de 2007 às 23:31
Amiga, venha ao meu Blog as vezes que quiser.Fico contente por ter vindo e ter deixado um comentário. Obrigado pelas suas palavras.
Sobre o poema, acho que todos nós temos que lhes dizer, o que sentimos, enquanto é possivel...porque depois...Já pouco interessa.

Comentar post

.Mais sobre mim

.Quantos andam por aqui?

online

.Que horas são?

.Dezembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.Musica

object width="425px" height="360px" >

.Contacto

e-mail
Contacto via e-mail

.Respeite os Direitos de Autor

Todos os direitos reservados ao autor sendo proibida a sua publicação sem autorização prévia

.O meu livro

.Quem me visita

!--************CODE GEOCLOCK************-->
contador de visita

.Links

.tags

. todas as tags

.Posts recentes

. Desejo

. ...

. Virar de Pagina

. Dezembro

. Estou de Regresso

. Encontro-me numa profund...

. Calor Intenso

. Ano Novo . o Virar de Mai...

.Favoritos

. ALGURES, JUNTO DE MIM...